31 de maio de 2011

Aromas da minha vida


Li, certa vez, que o olfato é, de longe, o sentido do corpo mais influente na memória. Eu mesma, lembro de vários cheiros que remetem a épocas e passagens marcantes da minha vida. Um deles é o cheiro de pão quentinho e fresquinho da manhã, que me transporta para os tempos de estudante do Colégio Bom Conselho, nos anos 70, quando eu morava na rua 24 de outubro, esquina com a Vila Jardim Christofel. O colégio ficava na rua Ramiro Barcellos, então, eu fazia aquele trajeto a pé, todos os dias. Às vezes meu pai, que era militar da ativa e saía cedo num jipe do Exército, levava os meus irmãos para o colégio Rosário e me deixava no Bom Conselho, que era no caminho. Bah, mas achava aquilo o maior mico! Bem coisa de adolescente. No percurso para a escola havia uma padaria e aquele cheirinho de pão recém feito era quase uma parada obrigatória. Outro aroma delicioso para mim é o do café feito na hora. Hummm, o café me faz recordar os meus tempos de bandeirante. Adorava as tardes de sábado, que passava na sede Monteiro Lobato. Melhor ainda era quando tinham os acantonamentos. Passávamos o dia na sede campestre. O grupo era dividido em equipes sob o comando de coordenadoras adultas, que planejavam ações de solidariedade, sempre no espírito do movimento. Passávamos muito em função das comunidades carentes. Um exemplo disso era quando acontecia alguma tempestade forte na cidade que resultava em pessoas desalojadas e era tarefa das bandeirantes se encarregar de buscar alimentos e roupas. São tantos os aromas que é impossível não falar dos perfumes, que ganham destaque nos "toucadores" femininos. Dentro de frascos lapidados, os perfumes guardam odores capazes de inebriar os sentidos. Entretanto, para mim, não basta ser um perfume da moda, com campanhas publicitárias de estrelas de cinema poderosas. Penso que hoje existe uma overdose de perfumes que confundem o olfato. Escolher o que realmente agrada o nosso sentido e marca este para sempre, não é nada fácil. A escolha da fragrância deve ter muito do nosso jeito, por isso as vezes sentimos um perfume e lembramos de uma determinada pessoa. Frutas, folhas de chá, mel, madeira e capim estão entre os ingredientes dos perfumes que eu aprecio. Não gosto de perfumes muito doces, esses me deixam enjoada. Gosto de perfumes suaves. O meu perfume preferido é o Miss Dior Chérie, e imagino que já faça parte da minha identidade.

30 de maio de 2011

Cliques de amigos e familiares que retratam bons momentos




Com a Juliana no casamento da Leandra filha da minha prima


Juliana, Martina, Aline minha sobrinha e Cristina minha irmã numa cafeteria do bairro Moinhos de Vento, colocando a conversa em dia.


As primas Marcela e Martina são muito amigas

 
Com a Marcela

Martina e Marcela brincando


James, Juliana, Felipe e Marcelo depois do churrasco na casa do casal Marchiori

Alexandre com a Marcela e a Martina
Fernanda e Marcela gostam da tranqüilidade da praia de Torres no inverno.












 

Bonito sem esforço

Dono de incríveis olhos verdes, estatura de jogador de vôlei, físico
perfeito, cabelos castanhos lisos, esse é o meu filho Felipe, que consegue
ser bonito até com uma coleira de espuma no pescoço para tratar a lesão que
teve na coluna cervical. Eu sempre achei o Felipe muito lindo, super
inteligente e educadíssimo. Garanto a vocês que não é coisa de mãe não, e, sim, uma opinião feminina. E olha que sou muito crítica nas minhas avaliações sobre beleza, cultura, temperamento e refinamento. O interessante é que o guri reúne vários talentos, que são pré-requisitos para o sucesso profissional e para a realização pessoal. Agora que estou de motorista do Felipe, ou seja, estou sempre junto dele em todos os lugares que ele freqüenta, é que vejo que meu pequeno grande homem arranca suspiros por onde passa.
Cliquei essa foto do meu celular quando levei o Felipe para a PUC. Por isso a qualidade não é das melhores.

Preocupação do Governo Federal

O Palácio do Planalto convocou para hoje reunião de emergência para definir uma intervenção imediata e evitar novas mortes no campo, em regiões de conflito agrário e desmatamento na Amazônia. Foram convocados os ministros da Secretaria Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, da Justiça, José Eduardo Cardozo, do Desenvolvimento Agrário, Afonso Florence, e Maria do Rosário, da Secretaria de Direitos Humanos. Em uma semana, foram assassinados quatro ambientalistas e agricultores – três no Pará e um em Rondônia. A Polícia Federal, que investigava os homicídios, reforçará a segurança nas áreas – até agora, os crimes não foram solucionados.
O ministro Gilberto Carvalho disse que há no governo uma grande preocupação com a lista divulgada pela Comissão Pastoral da Terra com nomes de pessoas marcadas para morrer na região.O governo também quer saber se há relação entre as mortes e o clima tenso em que se dá a discussão do Código Florestal – que acaba de ser aprovado na Câmara e seguirá para o Senado. Para ambientalistas, a reforma do Código pode, sim, agravar a situação.

29 de maio de 2011

Essa tal intuição

Eu sabia que algo estava para acontecer. Sim, eu sabia, mas não sei explicar como e porque, apenas estava sentindo uma sensação esquisita. Sempre digo que ficar mãe é ficar intuitiva e confiar no tal sexto sentido que só mãe tem, como uma bula de remédio. Era para ser uma segunda-feira de inicio do mês de maio como qualquer outra. Fazer minha ginástica, tomar suco com amigas no bar da academia quando termina a aula, faz parte da minha rotina depois do programa na rádio Pampa. Mas meu celular tocou e escutei a voz do Felipe perguntando se eu iria demorar a chegar em casa, e aquilo era o indicativo de que ele precisava de mim, de que algo tinha acontecido. Claro, saí que nem vento e devo ter feito o trajeto do bairro Auxiliadora até a Bela Vista em questão de minutos. Por sorte não peguei trânsito naquela hora do dia, algo raro, e com isso percebi que o universo conspirava ao meu favor – pensar assim é da minha natureza positiva. Larguei o carro na frente de onde eu moro, abri a porta e subi de dois em dois os degraus da escada que leva para os quartos, na parte de cima da casa – pensei no programa de exercícios que a Márcia, minha personal, tinha me passado, com a carga aumentada, e constatei que estava com bom condicionamento físico - e logo vi o Felipe deitado na cama com expressão de dor no rosto. Quando soube que ele se machucara no treino de Jiu-Jitsu e não conseguia ficar sentado e nem de pé, me deu um calafrio no corpo todo. Era preciso entrar em ação de maneira certeira.Depois de algumas ligações a médicos amigos em busca de um especialista de coluna, escolhemos o dr Sérgio Afonso Hennemann, que atendeu o Felipe sem ter espaço na agenda, pois, como se tratava de uma emergência, ele atendeu imediatamente. O doutor foi simplesmente maravilhoso. Lembro de uma frase que escutei certa vez e que é mesmo verdadeira: "Médicos tem um pouco de Deus”. Da consulta, que foi longa, saímos direto para o hospital Mãe de Deus para uma tomografia computadorizada. Era preciso descartar a necessidade de cirurgia. Feito o exame, que indicou tratamento medicamentoso e repouso absoluto, com sessões de fisioterapia intensas, o Felipe ficou estarrecido, triste com a impossibilidade de participar do campeonato de luta em San Diego na Califórnia agora em junho. Eu, por minha vez, estava aliviada e me deu vontade de dizer para meu filho que a luta era secundária, mas diante da angústia que via no olhar dele, resolvi ficar calada. Cada palavra agora teria um peso muito grande. Eu sabia que precisava manter a serenidade, porque essa seria uma etapa complicada para ele, que é muito jovem, esportista e cheio de planos nessa área. A viagem para o exterior tinha sido organizada desde janeiro desse ano. Todo o salário dele tinha sido economizado para isso, então, montei um verdadeiro esquema de acompanhamento dessa “ tempestade” que acontecia na vida dele. Precisava dar “colo” no momento certo e na medida exata, já pronta para levantar e conduzí-lo na sua nova caminhada que agora seria sem lutar, pelo menos é o que eu penso. Nesse tempo de tratamento, eu fui de tudo um pouco: motorista, enfermeira, amiga e mãe.Nas horas em que ficávamos aguardando as sessões de fisioterapia ou a consulta médica, conversávamos muito e procurava preparar o espírito dele para largar a luta. Ele diz que voltará a lutar. Conseguimos vencer essa batalha juntos. Estou muito feliz! Agora estamos numa outra etapa, que é bem mais tranqüila, e, logo, logo o Felipe voltará a dirigir e cursar normalmente a faculdade.Ensinar meu filho que as situações inesperadas acontecem e exigem muitas vezes, uma mudança de planos, exigiu de mim um grande equilíbrio emocional e responsabilidade com as palavras que penso que só consegui porque coloquei muito amor em tudo que fiz.

27 de maio de 2011

Planeta Casa

 
Trabalhando na rádio Pampa em horário nobre da comunicação, das 6 às 8h da manhã no programa Pampa Bom Dia, tenho agora uma alvorada de soldado. Acordo às 5h e meu tempo é exatamente cronometrado para um banho, o café e conferir os jornais. Às 9h, encerro meu trabalho e tenho o resto do dia livre - só meu - e cada um dos dias da semana é preenchido com as coisas que eu gosto de fazer. O interessante é que essa nova rotina me transmite algo, uma impressão diferente, um aprendizado. Uma delas é a de reconhecer que minha casa é o meu planeta. Moro num lugar leve que tem uma brisa abençoada que faz a cortina dançar, o cheiro de verde está por perto, a luz do sol entra timidamente pela porta da salinha de televisão e na janela do meu escritório. Escuto o canto dos passarinhos e vejo a Frida e o Dimas, nossos cachorros, brincarem no pátio. A maravilhosa Gilda que cuida da casa e de mim com extrema dedicação foi um presente dos céus, quase, porque na verdade foi  meu irmão João Pedro que me cedeu a Gilda - ela trabalhou muitos anos com ele. Acho que vou passar o resto da vida em dívida com o João Pedro! Quando chego da rua e vejo esse cenário, me dá vontade de ficar descalça e simplesmente curtir a casa. O meu trabalho na comunicação requer mesmo uma sensibilidade aguçada e é melhor ativada quando me deixo levar pelas sensações que o lugar proporciona, então, eis aqui uma confissão: tiro os sapatos, me atiro no sofá da salinha que dá para o jardim, escuto minhas músicas preferidas e fecho os olhos para sentir a leveza do meu planeta casa.

26 de maio de 2011

Esclarecimento aos meus leitores

Não tive acesso aos detalhes da decisão que está sendo veiculada no CLICRBS, entretanto sei que resulta de inspeção tradicional ordinária na Secretaria da Cultura do Estado, nos anos de 2008 e 2009, onde foram apontadas algumas irregularidades formais em determinados procedimentos. Não houve nenhuma ilegalidade. Em relação à Semana Farroupilha de 2009, no convênio com o MTG, houve uma inconformidade de datas entre a assinatura e a publicação no Diário Oficial. Parte do recurso foi utilizada após a assinatura, mas sem a respectiva publicação, então, o TCE apontou. Ocorre que este esmero com as datas é uma responsabilidade do jurídico, que tem que ser preciso, de acordo com a lei. Eu, como Secretária, responsável por quatro fundações e mais de trinta instituições culturais, não tinha como me ater a esses detalhes, os quais devem ser cuidados e controlados pelos assessores jurídicos da pasta. Quero afirmar ao povo rio-grandense que busquei sempre, frente à Cultura, agir com rigor no uso dos recursos públicos, entretanto, se houve alguma fragilidade no sistema que fugiu ao meu controle, não me eximirei de minha responsabilidade.

Pensando bem

Penso no mês de maio que passou e vejo que a partir do que nele vivi, aprendi e acumulei algumas lições importantes. A sensação que tenho é a de hoje saber muito mais sobre a vida, as pessoas e sobre eu mesma. Sempre me considerei adaptável as mais diferentes situações e nunca me acanhei à duras empreitadas, novos desafios, mudanças de rotas complicadas e até mesmo sofridas, mas confesso a vocês, que agora, olhando para trás, sinto que reforcei minha certeza de que o equilíbrio é mesmo uma característica muito forte na minha personalidade. Ainda bem! Claro que, por vezes, me pego pensando de onde saí assim tão forte e destemida, de quem herdei o tal equilíbrio e aí me vem na lembrança a minha infância,e os meus pais, com uma criação alicerçada no amor, no respeito, confiança e estímulo, valores que dão fundamento às minhas convicções.Então, no silêncio das minhas caminhadas matinais de outono, apreciando as flores e sentindo o cheiro da grama recém cortada das praças do meu bairro, que fiz uma prece para a Nossa Senhora das Graças iluminar o meu caminho.



 

23 de maio de 2011

Plano de Ação contra medidas do Governo é tema de reunião entre as entidades da Segurança Pública

O presidente da Associação dos Oficiais da Brigada Militar (ASOFBM), Ten. Cel. José Carlos Riccardi Guimarães e membros da diretoria receberam, nesta segunda-feira, representantes de entidades da Segurança Pública para elaborarem em conjunto um "Plano de Ação" contra o Projeto de aumento da alíquota da Previdência Pública, e, também, encaminhar algumas reivindicações antigas do setor.

Pelo que acompanhei no dia de hoje, me atrevo a dizer que o Governador Tarso Genro conseguiu algo inédito: aproximar todos os segmentos da Segurança Pública do Rio Grande do Sul que sempre tiveram divergências. As entidades estão unidas para dialogar com o governo  na questão relacionada à previdência. A Associação dos Oficias está mobilizada para reivindicar salários mais dignos e compatíveis com as funções dos brigadianos. A verdade é que a defasagem salarial dos agentes que fazem a segurança pública é grande, pois são 20 anos que sofrem com as perdas salariais.Os oficiais capitães não tiveram reajuste de 19% no governo Yeda. Agora, estão realizando uma agenda permanente e conjunta com as entidades da segurança. Na reunião desta segunda-feira, ficou decidido que as entidades visitarão, na manhã, de terça-feira, todos os deputados estaduais. Comprometeram-se a fazer um levantamento sobre a questão salarial das categorias, com objetivo de mostrar para a sociedade e ao Governador Tarso Genro que chegaram a cerca de 100% de defasagem e também realizarão um estudo jurídico detalhado sobre o Art.168-A, que trata da "Apropriação indébita previdenciária", e, assim, verificar as medidas cabíveis. As entidades que estavam presentes na reunião: ASOFBM, ASSTBM, UGEIRM, ABAMF, ACPRS/Sindicato, SERVIPOL, SIMPOL-RS e ASDEP-RS.

Partido Progressista dá a largada em Porto Alegre

A Convenção do Partido Progressista de Porto Alegre foi um sucesso.Na ocasião o partido elegeu por unanimidade a sua executiva e reconduziu Tarso Boelter ao comando da sigla na capital. Este será o quarto mandato de Boelter. O evento contou com a participação de muitas lideranças políticas, filiados e simpatizantes. Foi muito festejada a presença do prefeito José Fortunati que prestigiou o encontro e falou da satisfação de ter os progressistas como aliados, citou como exemplo disso a sua escolha pelo líder do governo na Câmara, o vereador João Antônio Dib. O diretório municipal fez uma justa homenagem ao nosso ex-prefeito e vereador mais antigo de Porto Alegre, João Dib. A informação de que o PP já conta com 17 pré-candidatos a vereador, animou os militantes que mostraram muita disposição para as eleições de 2012.O ponto alto da convenção foi que pela primeira vez na história do partido da Capital, mulheres assumem o comando dos movimentos partidários.A Juventude terá como presidente Simone Della Bona e o Movimento Negro, Joice Gomes de Souza. Também foi reeleita Márcia Krieger para presidir o Movimento da Mulher Progressista da capital.
                                                 Pronunciamento do Prefeito
                                            
                 Vereador Dib foi homenageado pelo PP de Porto Alegre
                                         
                 Fábio e Roberta, amigos queridos que moram em Brasilia.

22 de maio de 2011

Refletir para compreender

Ao refletir sobre responsabilidade, descobri que é muito útil exercê-la em duas etapas. Em primeiro lugar, nas palavras. Palavra falada ou escrita tem um valor incomensurável. Palavras ficam para sempre na nossa memória. Em segundo, são as atitudes, que desnudam o caráter do ser humano. Atitudes ficam para sempre no nosso coração. Atitudes e palavras verdadeiras despertam alegria e admiração, enquanto que ao contrário, causam tristeza e decepção. É preciso saber que esses dois aspectos da responsabilidade têm a magia de aproximar e o poder de afastar as pessoas do nosso convívio. A vida é uma caixinha de surpresas e apesar dos contratempos, vale a pena ser vivida na sua plenitude. Penso que  a gente deve ser grato aos outros, às suas palavras e atitudes. Mesmo que sejam injustos, ainda assim devemos agradecer, porque isso tudo exige de nós uma disposição de compreender que as pessoas são diferentes uma das outras e que não temos porque lutar contra isso.

21 de maio de 2011

Amigos de uma vida

O Alexandre e eu temos amigos de adolescência que cultivamos com carinho e orgulho.Sempre que possivel saímos para jantar com a Jane e Jeferson Medeiros, Adélia e Marcos Preiss. 



Adélia, Jane e eu.
 
                                           Alexandre, Marcos e Jeferson


                                               Jantamos no  restaurante Schulas

Convenções Municipais do PP/RS acontecem neste final de semana

Os Diretórios Municipais do PP/RS realizam neste final de semana as Convenções para eleição das suas executivas. A antecipação das convenções do mês de agosto para maio tem como objetivo proporcionar um maior período para que as novas executivas se organizem, tendo em vista as eleições do próximo ano. Para o presidente estadual do PP Pedro Bertolucci, a mobilização da base progressista de aproximadamente 400 diretórios que estarão efetuando suas convenções mostra a força do partido.O coordenador político do PP/RS Ernani Polo, acredita que este é um momento positivo para o partido que está recebendo novas filiações, um reflexo da eleição e do trabalho da Senadora Ana Amélia Lemos.Na data também serão escolhidas as executivas dos movimentos partidários do PP organizados nos municípios: Juventude, Mulher, Negro e Trabalhador.


O PP de Porto Alegre realiza, neste sábado, convenção para eleger os integrantes do diretório metropolitano para o próximo biênio. Foi inscrita apenas uma chapa, liderada pelo atual presidente Tarso Boelter.A convenção dará largada no processo interno sobre os rumos do PP, se terá candidatura própria ou fará composição na eleição municipal de 2012.


Estarei como jornalista acompanhando a chegada do prefeito José Fortunati (PDT) ás 11h.


Local da convenção do PP de Porto Alegre: Everest Porto Alegre Hotel
Endereço: Rua Duque de Caxias 1357 – Centro
Horário do evento: 9h às 14h

20 de maio de 2011

Salve o Judiciário!

Decisão do Desembargador José Luiz Palma Bisson, do Tribunal de Justiça de São Paulo, proferida num Recurso de Agravo de Instrumento ajuizado contra despacho de um Magistrado da cidade de Marília (SP), que negou os benefícios da Justiça Gratuita a um menor, filho de um marceneiro que morreu depois de ser atropelado por uma motocicleta. O menor ajuizou uma ação de indenização contra o causador do acidente pedindo pensão de um salário mínimo mais danos morais decorrentes do falecimento do pai.


Por não ter condições financeiras para pagar custas do processo o menor pediu a gratuidade prevista na Lei 1060/50. O Juiz, no entanto, negou-lhe o direito dizendo não ter apresentado prova de pobreza e, também, por estar representado no processo por "advogado particular".


A decisão proferida pelo Tribunal de Justiça de São Paulo a partir do voto do desembargador Palma Bisson é daquelas que merecem ser comentadas, guardadas e relidas diariamente por todos os que militam no Judiciário.

Transcrevo a íntegra do voto:

“É o relatório. Que sorte a sua, menino, depois do azar de perder o pai e ter sido vitimado por um filho de coração duro - ou sem ele -, com o indeferimento da gratuidade que você perseguia. Um dedo de sorte apenas, é verdade, mas de sorte rara, que a loteria do distribuidor, perversa por natureza, não costuma proporcionar. Fez caber a mim, com efeito, filho de marceneiro como você, a missão de reavaliar a sua fortuna.

Aquela para mim maior, aliás, pelo meu pai - por Deus ainda vivente e trabalhador - legada, olha-me agora. É uma plaina manual feita por ele em pau-brasil, e que, aparentemente enfeitando o meu gabinete de trabalho, a rigor diuturnamente avisa quem sou, de onde vim e com que cuidado extremo, cuidado de artesão marceneiro, devo tratar as pessoas que me vêm a julgamento disfarçados de autos processuais, tantos são os que nestes vêem apenas papel repetido. É uma plaina que faz lembrar, sobretudo, meus dias de menino, em que trabalhei com meu pai e tantos outros marceneiros como ele, derretendo cola coqueiro - que nem existe mais - num velho fogão a gravetos que nunca faltavam na oficina de marcenaria em que cresci; fogão cheiroso da queima da madeira e do pão com manteiga, ali tostado no paralelo da faina menina.

Desde esses dias, que você menino desafortunadamente não terá, eu hauri a certeza de que os marceneiros não são ricos não, de dinheiro ao menos. São os marceneiros nesta Terra até hoje, menino saiba, como aquele José, pai do menino Deus, que até o julgador singular deveria saber quem é.

O seu pai, menino, desses marceneiros era. Foi atropelado na volta a pé do trabalho, o que, nesses dias em que qualquer um é motorizado, já é sinal de pobreza bastante. E se tornava para descansar em casa posta no Conjunto Habitacional Monte Castelo, no castelo somente em nome habitava, sinal de pobreza exuberante.

Claro como a luz, igualmente, é o fato de que você, menino, no pedir pensão de apenas um salário mínimo, pede não mais que para comer. Logo, para quem quer e consegue ver nas aplainadas entrelinhas da sua vida, o que você nela tem de sobra, menino, é a fome não saciada dos pobres.

Por conseguinte um deles é, e não deixa de sê-lo, saiba mais uma vez, nem por estar contando com defensor particular. O ser filho de marceneiro me ensinou inclusive a não ver nesse detalhe um sinal de riqueza do cliente; antes e ao revés a nele divisar um gesto de pureza do causídico. Tantas, deveras, foram as causas pobres que patrocinei quando advogava, em troca quase sempre de nada, ou, em certa feita, como me lembro com a boca cheia d'água, de um prato de alvas balas de coco, verba honorária em riqueza jamais superada pelo lúdico e inesquecível prazer que me proporcionou.

Ademais, onde está escrito que pobre que se preza deve procurar somente os advogados dos pobres para defendê-lo? Quiçá no livro grosso dos preconceitos...


Enfim, menino, tudo isso é para dizer que você merece sim a gratuidade, em razão da pobreza que, no seu caso, grita a plenos pulmões para quem quer e consegue ouvir.


Fica este seu agravo de instrumento então provido; mantida fica, agora com ares de definitiva, a antecipação da tutela recursal.


É como marceneiro que voto.


JOSÉ LUIZ PALMA BISSON - Relator Sorteado

18 de maio de 2011

Nossos museus

O dia de hoje, Dia Internacional dos Museus, nos faz pensar com carinho nos museus de nossa cidade e nos remete a lembrar de quanto nos faz bem quando estamos viajando, visitar essas casas, onde entramos para conhecer e resgatar a história, valorizar a criatividade humana, pesquisar e conviver. Por mais que guardem o tempo, os museus não podem parar no tempo. Pensando assim, o passado é mantido vivo junto ao presente, vislumbrando o futuro. Diferente do que citava o poeta Francês Lamartine, no século XIX, que os museus eram cemitérios de arte, hoje, bem pelo contrário, podemos vê-los como jardins das artes e berçários da história, como a alma das cidades e a sala de aula da tradição e da cultura. Penso que a presença de museus numa cidade qualifica suas relações sociais.Visitar museus e extrair o melhor proveito de suas múltiplas atividades são hábitos que precisamos cultivar e estimular em nossas comunidades e para as futuras gerações.

17 de maio de 2011

É isso aí Presidente!

O Governo brasileiro  tomou uma medida radical acertada ao tratar a Argentina com a mesma moeda, impondo barreira à importação de carros. Aliás, este procedimento deveria tambem ser adotado pelo nosso governo em relação a  concessão de vistos americanos. Deveriamos Impor as mesmas dificuldades que eles nos impõe aqui, ou seja, ter que pegar um avião de Porto Alegre a São Paulo, Rio de Janeiro ou Brasilia, uma família gastando de R$ 3,000,00 a R$ 4,000,00 com hospedagem, alimentação e avião para fazer uma entrevista.Então o governo brasileiro deve tratar o assunto com reciprocidade, ou seja, um americano pedindo visto para vir ao Brasil de Nova Yorque, ele deveria voar até Los Angeles para fazer a mesma entrevista visando o seu visto.Nós somos tratados pelos Estados Unidos não só como um país de terçeiro mundo, mas com desconfiança.

Comentário da Juliana

Mãe obrigada pelo que escrevestes. Também te considero a minha melhor amiga e o meu exemplo de mulher, mãe, amiga e profissional! Foi assim ao longo de todos os meus anos de vida! Foi tu que me ajudou em todas as áreas, me mostrou o caminho e me deu espaço para voar sozinha também...E sempre te disse que se hoje sou motivo do teu orgulho podes estar certa que és a minha inspiração. Sempre imaginei que queria ter uma filha para prolongar essa relação que temos, e quando soube que esperava uma menina pensei "que máximo, agora seremos três grandes amigas, eu, tu e a minha a nossa pequena Martina!" Assim vem sendo, somos agora três, amigas para sempre, ela ainda é pequena para entender a dimensão desse amor e dessa relação, mas com certeza ela já sente essa união que nós três temos e teremos para sempre!
Te amo.
Juliana
Almas Gêmeas

16 de maio de 2011

Para minha filha

Trinta e cinco anos atrás. Eu era apenas uma menina com mil perguntas, todas sem respostas. Vivia ajeitando o vestido, que teimava em ficar mais curto, acomodando a imensa barriga que eu exibia com orgulho. Na manhã do dia 16 de maio, senti as dores do parto, a dilatação, a força ansiosa e nasceu Juliana, minha primeira filha. Ah, como eu me senti realizada! Fiquei extasiada com a beleza do ser pequenino que tomava conta de todo o meu coração. Lembro da sensação de colocar a mão no rostinho dela. Foi nosso primeiro toque. Eu pensei: "Quero ser sua melhor amiga." Foi um momento mágico, onde selamos nossa conexão para toda a vida. Lembro a primeira mamada, a ida para casa e o primeiro banho, uma rotina deliciosa que sempre fiz com prazer. A cada dia, ela era mais minha, embora eu soubesse que teria que prepará-la para o mundo: a escola, os amigos, o primeiro namorado, a escolha de uma profissão, o trabalho, o amor, o casamento e os filhos.
Agora, mais do que nunca , sei que meu desejo de sermos amigas tornou-se uma realidade forte e definitiva. Está no nosso olhar e nas nossas conversas. Ainda hoje, quando beijo o rosto dela, sinto essa troca, sinto a força desse amor de mãe e filha amigas.
Feliz aniversário, Juliana, e que tu continue sendo esta pessoa maravilhosa que eu tive a felicidade de pôr no mundo.
Minha filha Juliana

Pampa Bom Dia

14 de maio de 2011

De volta ao normal

Não foi só o sistema blogger, que ficou fora do ar de quinta a sexta-feira, que me impediu de atualizar o blog. Foi também uma febre de quase 39 graus. Olha pessoal, em toda a minha vida adulta nunca tive um febrão igual. É que tenho uma saúde de ferro. Estou no auge da minha forma física, pois faço ginástica desde que me conheço por gente, trabalho na comunicação e adoro o que faço, sem contar que tenho uma família que pedi a Deus. Moro numa casa confortável que decorei do meu jeito. Sou movida pelas minhas convicções e o meu tempo, que é precioso, eu dedico a coisas e pessoas com essência. Penso que tenho uma vida perfeita. Não há nada a mudar, nem mesmo o stress da política, cuja adrenalina funciona como um elixir de alegria. Independente de todas as coisas positivas e saudáveis da minha vida, não teve jeito, tive uma febre que me derrubou. O mais incrível é que assim como a febre apareceu, também desapareceu, deixando o médico sem saber o que receitar. Então, tive que obedecer a determinação do doutor Rogério Xavier, que é o médico da minha família e fiquei de "molho" nesses dois dias. Claro que o meu primeiro impulso assim que me senti bem, foi de abandonar o repouso e voltar às minhas atividades, mas para isso precisaria enfrentar a resistência da polícia familiar e achei melhor não comprar a parada. Assim, eu aproveitei esse retiro e dormi muito. Agora, já completamente recuperada, eu retomo ao pique da minha rotina, que curto demais. Aos poucos vou postando os acontecimentos no blog, dividindo com os leitores as coisas interessantes da nossa capital e do mundo a nossa volta.



11 de maio de 2011

Por mais mulheres na política!

Na manhã desta última terça-feira, participei do programa "Polêmica" na rádio Gaúcha. O Lauro Quadros é o comandante e as pautas são sempre de interesse da sociedade. Ontem o tema foi "As mulheres na política ainda são uma minoria porque elas não tem interesse ou porque falta espaço?" A ex-vereadora Clênia Maranhão e a vereadora Maria Celeste debateram comigo por uma hora e meia, sendo muito produtivo essa troca de idéias. Ah, e o povo interagindo nas ruas! Algumas de nossas deputadas que escutavam o programa, mandaram suas manifestações, que foram valiosíssimas. Gostei demais de encontrar a Clênia e a Celeste. Fomos vereadoras juntas e é curioso que essa foi a única vez em que a Câmara Municipal teve sete vereadoras, atingindo seu maior número dessa representação, sendo que a Celeste era Presidente da casa legislativa, a Clênia era líder do Governo Municipal e eu vice-líder. Formávamos um excelente time político. O Lauro estava com toda a corda no programa de ontem. Recebemos inúmeras mensagens de cumprimentos pelo debate e claro algumas gracinhas que foram bem acolhidas, porque foram muito educadas. Encontrei a Rosane Oliveira no corredor da rádio e deu para conversar um pouco, coisa que já há um tempo não fazia.Mais uma vez pude constatar que o programa tem muita audiência, pois por onde andei, desde que saí da rádio, no final da manhã, várias pessoas vieram me dizer que haviam escutado. E creio que o time de convidadas de ontem agradou, pois gerou uma harmonia que possibilitou render a pauta. Parabéns a produção e ao comandante do programa na escolha dos temas. Abaixo está a foto que registra o que falei.

Com Clênia Maranhão, Lauro Quadros e Maria Celeste




9 de maio de 2011

Obrigada pelos convites!

Na semana passada, recebi uma ligação do Dorotéo Fagundes me convidando para participar do Programa “Galpão do Nativismo” desse domingo, e que é transmitido pela Rádio Gaúcha. Fiquei contente pelo convite, pois o Dorotéo é um bom amigo, que sempre me recebeu muito bem, além de ser um comunicador com grande audiência no segmento do regionalismo, que conheci mais de perto quando Secretária da Cultura.Mas confesso que o convite me deixou um pouco apreensiva, porque agora faço parte do quadro de comunicadores da Rede Pampa, então, era importante levar o assunto ao conhecimento da direção. Liguei para o vice-presidente Paulo Sérgio Pinto e contei do convite e da minha vontade de ir ao programa. Recebi o seu incentivo e fiquei tranqüila. 
O programa estava muito bom, começando pelas pessoas queridas que estavam lá. A produção fez uma festa quando entrei, em tom de queixas carinhosas dizendo que fazia tempos que eu não aparecia. Brinquei com eles que meu tempo longe tinha sido o necessário para a reforma do estúdio da rádio Gaúcha, que estava maravilhoso, com vista para a avenida Ipiranga. Como homenagem ao Dia das Mães colocaram uma poesia lindíssima de Aparício Silva Rillo que foi recitada por Darcy Fagundes: "Mãe Velha". Na despedida aproveitei para fazer um registro da minha alegria em saber da pronta recuperação do Nico Fagundes e do seu casamento, que foi muito festejado por todos os presentes. Agora um detalhe interessante que me aconteceu hoje pela manhã muito cedo quando tomava um cafezinho com meu pai. O meu celular tocou e era o produtor do Programa Polêmica. Um jovem muito educado e simpático falou: "Bom dia é a deputada Mônica? Eu respondi: Bom dia, é a Mônica, mas deputada não, porque não me elegi. Ele deu uma boa risada e logo falou: “Então, jornalista Mônica, estou ligando para convidá-la para participar do programa do Lauro Quadros dessa terça-feira”. Depois de conversarmos um pouco e eu aceitar o convite, desliguei o telefone e me virei para o meu pai e comentei que algumas pessoas tinham receio que por eu ser agora de uma empresa de comunicação, não seria mais convidada para programas das outras. Meu pai, muito tranqüilo respondeu: "Quem comanda a comunicação sabe que os bons estão acima disso”. Tirando o lado de pai, que puxa a brasa para a filha, mas como eu não sei esconder o que sinto, quero dizer a vocês que a sensação que tive quando recebi esses dois convites foi de um imenso orgulho.
Programa “Galpão do Nativismo”

Corrida noturna

É alarmante a incidência de acidentes de trânsito com mortes no Rio Grande do Sul neste ano de 2011.Só no inicio da noite de domingo na BR-392 no Centro do Estado, uma pessoa perdeu a vida e cinco ficaram feridas.O que chama a atenção é que os acidentes motivados pela alta velocidade ocorrem quase sempre à noite, quando a fiscalização fica praticamente desativada.Durante o dia, com vários radares móveis espalhados, os abusos diminuem.Sinal que as autoridades precisam dar mais atenção ao tráfego noturno. 

8 de maio de 2011

Um poema de Mário Quintana para homenagear as mães


 Mãe

Mãe... São três letras apenas
As desse nome bendito:
Também o Céu tem três letras...
E nelas cabe o infinito.
Para louvar nossa mãe,
Todo o bem que se disse
Nunca há de ser tão grande
Como o bem que ela nos quer...
Palavra tão pequenina,
Bem sabem os lábios meus
Que és do tamanho do Céu
E apenas menor que Deus!

Minha super mãe com as filhas que são mães

Sou mãe desses dois grandes homens:Felipe e Marcelo

Minha filha Juliana me deu o primeiro presente abençoado: A Martina.

Minha nora Fernanda me deu o segundo presente abençoado: A Marcela.

7 de maio de 2011

Compromisso do coração

Adoro os sábados na casa dos meus pais! A família inteira se reúne em volta deles, que são sempre o centro de nossas atenções. Os netos tem verdadeira adoração pelos avós e dedicam-se a contar-lhes suas coisas e eles curtem demais. É bonito de ver a integração das gerações. Os netos já adultos convivem e brincam com os que ainda são crianças, e para completar, agora dona Carmen e seu Pedro Américo acolhem os três bisnetos, ainda bebês. Incrível como a família cresceu. Nossos filhos estão formando suas famílias. O tempo passou rápido demais. Ah, o tempo, de novo ele pregando das suas! Confesso que isso me faz pensar sobre a vida, do quanto ela é surpreendente. Me peguei recordando fatos referentes à minha infância, o que, mais do que viajar no passado, é confirmar que a educação e os valores que recebi foram valiosíssimos. Essas fotos registram o último encontro desse hábito que a família Leal não abre mão.
Com a Marcela e a Martina

Minha Mãe, Martha, Rose Alice, Gabriela, Eu e Cristina
Meu irmão João Pedro com a Cristina sua namorada
Ricardo e Eduardo meus sobrinhos gêmeos que são filhos do João Pedro

Eduarda com a Marcela e Fernanda

 Meu filho Felipe conversando com a avó
Marcela, Alice, Martina e Julia
Com meus pais
Com a Marcela, Juliana e Martina



6 de maio de 2011

Cultura

Fiquei gratificada ao ler a notícia de que saiu o resultado dos projetos vencedores no FAC- Fundo de Apoio à Cultura. A gratificação foi a mesma de quem vê os primeiros brotos germinados de uma semente que plantou em solo fértil. A colheita de quem plantou o Sistema Unificado de Financiamento á Cultura, o Pró-Cultura, cuja iniciativa foi da Governadora Yeda Crusius, ainda em 2008, por minha sugestão na minha gestão como Secretária.
Agora vislumbro então os R$ 880.000,00, à época de minha gestão legalmente recolhidos aos cofres públicos, serem distribuídos de forma democrática e equânime para os diversos segmentos da cultura do RS.
Parabéns comunidade cultural pela conquista. Colham os frutos do trabalho de uma equipe que confiou nesta gestora.


Então, pergunto para aqueles que diziam que eu não era do meio cultural: A atual gestão poderia estar possibilitando fruição cultural se a "casa não estivesse em ordem?"

4 de maio de 2011

Vale o registro

A idéia de novo desarmamento da população é um retrocesso em nossas instituições. Ora, bandido não compra arma! Desde a minha época de candidata ao Senado que defendo a importância do Governo Federal fiscalizar as nossas fronteiras, pois é por ali que o armamento pesado entra. 

O sistema prisional brasileiro é uma vergonha.É simplesmente repugnante que sob a guarda dos presídios exista uma massa de pequenos criminosos que vivem que nem animais enjaulados. Sem contar que de segurança máxima os presídios não tem nada porque é por de trás das grades que os barões do crime organizado, controlam seus negócios.

Gostei da atitude da Presidente Dilma que por conta do balanço dos cem dias de seu governo, encomendou aos ministros, um relatório de atividades para avaliar o desempenho de cada um.

É realmente preocupante o estágio das obras da Copa de 2014.Penso que essa é a melhor maneira de mostrar ao mundo como não se deve organizar um campeonato mundial.Nossos aeroportos, estradas, estádios, hotéis e transportes padecem com a falta  de planejamento. 

Conheço muitos aeroportos do Brasil.Viajo bastante e posso dizer com segurança que todos aeroportos, sem exceção, estão com problemas nas áreas de embarque, desembarque, bagagem e filas enormes para tudo.Até para comprar um cafezinho é um horror. Pegar um taxi então é uma empreitada que requer muita paciência.Os aeroportos que a pouco tempo utilizei os serviços foram os de Congonhas, Santos Dumont, Galeão e Guarulhos.O que dizer então da mais recente revelação  sobre a falta de confiança que os pilotos tem dos controladores de vôo no Brasil.Sinceramente acho uma temeridade essa Copa acontecer no Brasil.Mas, mesmo que tudo fique pronto na base do improviso que muitas vezes fica sendo o definitivo, será a custa de muito dinheiro público que na minha opinião seria bem empregado na saúde, educação, segurança e transporte  dos brasileiros. 

O Governo Tarso Genro está criando mais um imposto através da Inspeção Veicular que será cobrada junto com o IPVA. Para mim isso é um verdadeiro absurdo e tem como objetivo aumentar a carga tributaria que já está para lá de pesada. Não precisa ser muito entendido em carros para saber que os modelos modernos estão tecnicamente cada vez mais aperfeiçoados, menos poluentes, e mais silenciosos.

Fiquei preocupada com o estudo do Instituto de Pesquisa Econômica ( IPEA) e do IBGE que mostra que o Brasil tem 16, 2 milhões de pessoas na miséria, o equivalente a  8,5% da população. Deste total, 4,8 milhões não têm nenhuma renda e 11,4 milhões têm rendimento de R$ 1,00 a R$70, 00. No Rio Grande do Sul tem 306,651 pessoas vivendo em situação de extrema pobreza.Isso é muito grave! Mas vem aí o Plano Nacional de Erradicação da Pobreza Extrema, que será lançado pelo governo federal em maio. O plano tem por objetivo a universalização do acesso aos programas de transferência de renda, a ampliação e a qualificação dos serviços públicos e a chamada a inclusão produtiva, para capacitação de mão de obra.

A novela “Insensato Coração” é um festival de maus exemplos. Com cenas fortíssimas de sexo, incentivo a prostituição, desmonte de valores importantes e um manual de como enganar o próximo, vai ao ar em horário que o público na sua grande maioria é de crianças e adolescentes.É um programa que afronta as famílias.
  
Sobre o Código Florestal respeitando a preocupação das entidades ambientais que é totalmente válida, mas por favor, sem exageros para promover o desenvolvimento econômico, ainda a pouco, escutei especialistas no setor dizer que trata-se de um dos maiores avanços contemporâneos para o agronegócio do Brasil. E os produtores acreditam que mesmo que o documento não tenha exatamente tudo o que a classe almejava, ainda assim o texto torna possível o agricultor trabalhar.Vale lembrar que a atual Lei Florestal Brasileira tem 45  anos. Está para lá de ultrapassada! Só espero que aqueles que não entendem de agricultura e pecuária que falam por falar, que repetem o que escutam nas rodinhas de conversas, depois sobem na tribuna do plenário por alguns minutos de flashs, não atrapalhem. Não cabe transformar a votação do Código Florestal num terrorismo.

Pare e pense

 
Se você tivesse que falar de um sentimento que resumisse a sua vida nos últimos anos, qual seria?
O meu é o de saber que fiz o que pude. Da melhor maneira que pude. Sei que essa frase solta assim, pode soar como evasiva, coisa que não é do meu jeito, então quero explicar. Chega uma hora em que a vida nos impõe uma parada para pensar na nossa conduta para com os outros e na conduta dessas pessoas para conosco. É claro que todos nós  buscamos realizações profissionais e emocionais.Tem pessoas que se realizam apenas com a felicidade dos outros, assim como tem aqueles que acreditam em idealizações e assim por diante. Não vale aqui analisar o mérito do sentimento que resume a vida de cada um de nós, pois é algo muito particular. No meu caso, o que eu quero dizer é que me sinto bem comigo mesma porque fiz muito mais do que a minha natureza, sempre cuidadosa em nunca ser demais com nada e ninguém, permitia. Fiz porque pensei que o meu compromisso de fazer o melhor seria o suficiente para fazer a mim e aos outros felizes e agora isso faz um grande bem para minha alma.

3 de maio de 2011

Ana Amélia Lemos quer que fundo estadual contra as drogas seja compartilhado com municípios gaúchos

A Senadora Ana Amélia (PP-RS) sugeriu ao governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro (PT), que reverta parte dos recursos do recém criado fundo de Sistema de Políticas Públicas sobre Drogas para os municípios.O fundo vai permitir que os bens apreendidos no tráfico de entorpecentes sejam destinados para ações de prevenção e combate a esse tipo de crime no Estado.Do total dos recursos, 20% ficarão com a União. O Judiciário e o Ministério Público terão, cada um, 10% dos recursos e 60% restantes, ficarão no Estado, que os dividirá entre as áreas de justiça e direitos humanos, segurança pública e saúde. Ana Amélia está certíssima visto que os municípios tem papel relevante, porque é ali, na Prefeitura ou na Câmara de Vereadores que as pessoas vítimas da droga buscam ajuda.
A Senadora também destacou a iniciativa da Confederação Nacional de Municípios que lançou o observatório do Crack. O portal disponibilizará informações sobre o consumo e a circulação da droga nos municípios brasileiros. Os dados, segundo a senadora, serão fornecidos pelas próprias prefeituras. As informações estão no endereçwww.cnm.org.br/crack

2 de maio de 2011

Entrei na brincadeira!

É nas brincadeiras com a Martina que faço descobertas importantes, mergulhando em um mundo do qual fazem parte a espontaneidade, a pureza, a alegria e, claro, a maravilha do amor.
Nossa pose para a foto
Martina me trazendo os brinquedos
Martina e eu brincando de múmia