30 de novembro de 2012

Cultura sem internet


Por ser jornalista e estar sempre em dia com os assuntos que me interessam e que precisam ser comentados, e nesse caso, por ter exercido o cargo de secretária de Estado da Cultura, publico o comentário que fez o jornalista José Luiz sobre nota da coluna de Rosane Oliveira de ZH do dia 26 e o retorno que enviei a ele .
O Prévidi exerce o jornalismo há 34 anos, é escritor e tem no seu blog sobre comportamento, política, economia, meios de comunicação e humor, um espaço de comunicação direta muito acessado e de leitura diária obrigatória, na minha opinião.

 


Segunda, 26 de novembro de 2012 - parte 2

SAUDADE DA MÔNICA LEAL??!!

Lembram o que era criticada a então secretário de Cultura do RS, porque, entre outras coisas, ela controlava as ligações interurbanas pelos funcionários?
Para parte da "intelligentsia gaudéria" a Mônica não podia ser secretária.
--
Aí leio hoje na Zero Hora, na Página 10:

Por falta de pagamento, pelo menos três instituições ligadas à Secretaria Estadual da Cultura estão sem internet há duas semanas.
O problema atinge o o Museu de Arte do Rio Grande do Sul (Margs), o Instituto Estadual do Livro (IEL), e o Centro de Desenvolvimento da Expressão (CDE).
A Casa de Cultura Mario Quintana também está sem internet pelo mesmo período, mas a direção garante que ali o motivo são problemas técnicos.

Em nota enviada ontem à coluna, a Secretaria Estadual da Cultura disse que está em negociação com a empresa que presta serviços de internet e telefonia à pasta, a Oi, para renegociar o pagamento de itens em atraso e restabelecer a rede o mais rápido possível.
Segundo a Assessoria de Imprensa, o valor total da dívida e o período de atraso nas contas só poderiam ser informados hoje.
A secretaria admite a falta de recursos. Como os gastos com custeio são maiores do que a verba disponível, a pasta é obrigada a manter uma negociação permanente com os prestadores de serviço para garantir a continuidade dos atendimentos.
--
Que feio, né?
Mas o atual secretário da Cultura, Luiz Antonio de Assis Brasil, é uma unanimidade!!
Nem é citado na matéria.

 ---------------------

Caro amigo Prévidi,

essa notícia que saiu na coluna da Rosane Oliveira em ZH e que tão bem divulgaste no teu blog, me fez relembrar o quanto nos empenhamos na gestão 2007/2010 da secretaria de Estado da Cultura para que situações como esta não acontecessem. 
Devido a visão muito preocupada com o saneamento econômico do Estado da governadora Yeda Crusius, na SEDAC o rumo foi o mesmo e uma das primeiras medidas foi a redução dos custos de telefonia no gabinete e nas mais de trinta instituições vinculadas à pasta, que era absurdo.
Um dos trunfos do governo Yeda foi o resgate da credibilidade do Estado em relação a pagamentos em dia aos seus fornecedores.
Pelo jeito a porteira abriu novamente, vide a informação da própria SEDAC de que os gastos com custeio são maiores do que a verba disponível, matemática que sabemos não dar certo nem na economia doméstica.
Mas infelizmente, o orçamento para a Cultura é mesmo vergonhoso. 
Abaixo, resgatei o relatório de 2007 com outras medidas importantes que tomamos.
Um grande abraço, Mônica Leal


Relatório 2007
Ações da Secretaria de Estado da Cultura/ SEDAC – órgão central e instituições vinculada


Ações Estruturais

Estudo e proposta de novo organograma para reestruturação administrativa da Secretaria de Estado da Cultura/ SEDAC nos diversos níveis hierárquicos. O modelo aprovado racionaliza os cargos e atividades, bem como otimiza a ocupação dos mesmos, compatibilizando com a meta do Governo do Estado em padronizar todas as Secretarias.

Reestruturação emergencial do Sistema LIC através de adoção de nova regulamentação - IN  01/2007- associada à adoção de novas metodologias na informática para protocolar projetos. Medidas saneadoras, na busca de mitigar o passivo dos anos anteriores e resgatar a operacionalidade e credibilidade do sistema.

Procedimentos administrativos, formalizações de pedidos e justificativas, buscando a viabilização de mudança para o CAFF. Estudo de layout com adaptação do programa de necessidades, estrutura de pessoal ao espaço oferecido, junto ao 19º andar.
Realocação do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado/ IPHAE e do Instituto Estadual de Cinema/ IECINE do 21º andar para o 19º andar do CAFF e do Instituto Estadual de MúsicaIEM para a Casa de Cultura Mario Quintana.

Transferência da Biblioteca Pública do Estado, a qual ficou estabelecida provisoriamente na Casa de Cultura Mario Quintana até que o prédio histórico, sede original, seja totalmente restaurado pelo Programa Monumenta do Ministério da Cultura.

Redução do custeio administrativo da SEDAC a partir do uso racional de telefones, luz e água. Reciclagem de papel de expediente a fim de permutar por outros.

Estudo de legislação e proposta de minuta de Decreto que altera a Comissão do Acervo da Ditadura, passando a responsabilidade ao Arquivo Histórico do Estado, tornando o acervo objeto de estudo técnico e não político. O referido acervo passou a ser disponibilizado em horários mais flexíveis e com acompanhamento de técnico especializado em história.

Implantação do LIC Denúncia. Dentro das propostas saneadoras para a Lei Estadual de Incentivo à Cultura, objetivou-se o acesso ao site da LIC, onde podem ser denunciadas anonimamente, irregularidades transcorridas em projetos culturais financiados pelo Governo. Nos primeiros  meses de funcionamento, o LIC Denúncia já apresentou resultados efetivos, recebendo cerca de 25 denúncias. A coordenação da LIC após checar a veracidade das informações pôde baixar uma diligência ou, em casos mais graves, encaminhar o caso à Procuradoria Geral do Estado.

Instalação efetiva de ar-condicionado no Museu de Arte do Rio Grande do Sul/ MARGS que permitiu a utilização do espaço para a 6ª Bienal do Mercosul.

Obtenção de patrocínio junto ao Banrisul para apoiar atividades culturais da Casa de Cultura Mario Quintana, inclusive a continuidade do funcionamento da Cinemateca Paulo Amorim.

Reabertura ao público do Museu Júlio de Castilhos com o conserto total do telhado, repintura interna e concepção de nova museografia para exposições de cunho histórico.

Obtenção de sede definitiva para o Museu Antropológico, que ficaria estabelecido no antigo Fórum da Tristeza, permitindo um acesso direto ao pesquisador e aos estudantes, por que até aquele, estava localizado no 10º andar do Edifício Santa Cruz. 

Colocação de 28 câmeras de vídeo em circuito interno e externo (na Travessa dos Cataventos) visando otimizar a segurança na Casa de Cultura Mario Quintana.

Após a implementação de todas as medidas de redimensionamento, otimização, operacionalidade e saneamento administrativo e financeiro do Sistema LIC, cumpre registrar a liquidação total do passivo, em dezembro de 2007, acumulado em anos anteriores e  que no início da gestão contava R$14 milhões de reais.

Transferência da sede da SEDAC para o Centro Administrativo Francisco Ferrari, prevista para 11/12/07, o que resultou em uma economia mensal de R$40.000, entre aluguel e manutenção do Solar Palmeiro.








29 de novembro de 2012

Minha homenagem ao jornalista Joelmir Beting


Acompanhei as notícias sobre o jornalista Joelmir Beting nesses últimos dias já com o coração apertado, ao saber que seu quadro de saúde era irreversível.
É interessante a gente sentir essas pessoas que estão na mídia da nossa vida há tanto tempo, próximas como amigos, como professores dos assuntos que nos servem, como conselheiros fiéis.
Joelmir foi um grande jornalista também por ser uma grande pessoa. Sua história é admirável, pois nasceu em família pobre no interior de São Paulo e começou a ajudar os pais muito cedo. Que benção que conseguiu oportunidades e trilhou seu caminho profissional com muita dedicação, competência, muitas horas de trabalho diárias e assim conseguiu subir os degraus da profissão.
Posso dizer que eu era sua fã, que ele era um dos meus ícones no jornalismo, um guru que me fazia parar o que estivesse fazendo para ouvi-lo. Adorava seu jeito objetivo e verdadeiro de informar.
Uma das coisas que mais me impressionou nele foi quando se aposentou da TV e do rádio e um ou dois anos depois quis voltar a atuar na comunicação, mas disse publicamente que só voltaria a trabalhar na Rede Bandeirantes. 
Ele tinha um sentimento de lealdade e gratidão muito forte pela emissora, onde permaneceu até ser internado agora no final de outubro.
Era um cidadão espirituoso e autêntico. Seu mérito ao se dedicar ao jornalismo econômico foi o de popularizar o jornalismo de economia ao conseguir fazer chegar à população através de seus quadros o entendimento, a reflexão, a identificação dos problemas dessa área com que todos nós convivemos.
Como jornalista, perco um colega e um exemplo profissional e como cidadã deste país - e penso que o pensamento não é só meu, é coletivo, por isso escrevo no plural: perdemos um grande brasileiro.

Joelmir sempre presente nas iniciativas da Band

Com a esposa Lucila, com quem era casado desde 1963

Ao lado do filho Mauro Beting, que segue a carreira e o exemplo do pai





28 de novembro de 2012

Uma oficial-general pioneira!


Notícias sobre a ascensão de mulheres em seus postos de trabalho e em suas carreiras sempre me emocionam e me estimulam a trabalhar ainda mais pela melhoria do meio onde eu vivo, como mulher na sociedade e na política. 
Sempre admirei as que buscam sua vocação e sua liberdade através do trabalho e dos caminhos da própria história.
Hoje, a protagonista é Dalva Maria Carvalho Mendes, 56 anos, carioca, viúva, mãe de dois filhos, médica anestesista e capitã-de-mar-e-guerra, há 32 anos na Marinha.
Através da assinatura da promoção pela presidente Dilma Roussef, ela assumiu nesta semana o posto de contra-almirante, que corresponde ao de general-de-brigada no Exército e ao de brigadeiro na Aeronáutica, ou seja, os mais altos postos das Forças Armadas brasileiras. 
Atualmente há 2.882 oficiais mulheres na Marinha, o que representa 33% do quadro total de oficiais. 
Nas matérias que li nos jornais e pela internet, achei interessante essa declaração que fez: "É como se eu estivesse renovando votos de casamento com a Marinha. Aquela noiva ansiosa, feliz, emocionada", afirmou. 
Declarou que alcançou o sonho profissional na Marinha com "muito trabalho” e que espera ser um exemplo para outras profissionais.
Só tenho a parabenizar essa mulher!


Dalva Maria Carvalho Mendes recebeu a nova platina
do vice
-almirante Celso Barbosa Montenegro

A contra-almirante não conteve as lágrimas nos cumprimentos

Pronta para assumir e orgulhar o Brasil!

Crédito fotos:
FolhaUol / JornalNacional40 anos Blogspot/ LemNews



27 de novembro de 2012

"Tu pisavas nos astros, distraída"*


Na tarde dessa segunda-feira, me aconteceu um lance curioso e que me serviu de lição. Após um compromisso no oitavo andar de um prédio comercial no bairro Moinhos de Vento, chamei o elevador e quando este chegou, eu entrei, completamente absorta em meus pensamentos; automaticamente apertei no térreo e nem reparei nas pessoas que já estavam ali dentro.
Aí, escutei a seguinte frase: “Filho, o pai já votou nessa moça aí"!
Foi questão de segundos para eu despertar para a realidade e ver um rapaz acompanhado de uma criança. Agradeci a confiança depositada em mim e perguntei quando havia recebido aquele voto e a resposta foi a que eu imaginava: para o Senado Federal. 
Nossa, fiquei morrendo de vergonha pela minha distração e pedi desculpas por essa minha falha.
Saí dali refletindo sobre ser uma pessoa pública, ser reconhecida nas ruas e o quanto isso pode determinar e gerar muitas atitudes.
Ao mesmo tempo, no meu caso, vivo meu dia de a dia de cidadã de forma natural, corrida, prática e muitas vezes custo a me dar conta de que alguém vai me reconhecer.
Isso tem um lado curioso, e conforme vai acontecendo é que vou me ligando. Claro, após a gestão na secretaria de estado da Cultura, passei quase dois anos me dedicando ao jornalismo, iniciando com o rádio e depois fazendo televisão no programa Pampa News; depois, veio a visibilidade da campanha no horário político nos meios de comunicação.
Também, que na semana passada, fui fazer exames de saúde e quando chegou a minha vez, a funcionária chamou pelo meu nome. Resultado: senti todos os olhares da sala pousados sobre mim. 
Sábado pela manhã, fui ao hospital Moinhos de Vento para retirar um pequeno sinal no rosto, procedimento ambulatorial simples, que levou 30 minutos. Ao chegar ao andar do centro cirúrgico com a pulseirinha que me identificava como paciente, logo uma pessoa, educadamente, perguntou se eu estava bem. Então, eu me vi contando o que ia fazer, para tranquilizar a simpática senhora que declarou que acompanha minha vida política e torce por mim. 
Como não dar atenção? Por isso a lição do caso do elevador que abriu este texto.
São nesses momentos que percebo que sou uma pessoa pública e o que acho positivo nisso é que sinto que tenho tanta gente em sintonia comigo, perto, longe, que eu encontro ou não, mas que são combustíveis para todo e qualquer trabalho que eu realize, projeto que eu crie e causa que eu abrace.


* Frase da canção "Chão de Estrelas" de Orestes Barbosa e Silvio Caldas




25 de novembro de 2012

Esta é a Catharina!


Apresento aos leitores do blog a minha nova parceirinha: 
Catharina Markusons Marchiori, que está com três meses.
Na foto, nós duas junto com a mamãe, 
Juliana Leal Markusons.









24 de novembro de 2012

Coisa boa que o fim de semana chegou!



Minha semana foi de agenda cheia e corri para dar conta de tudo que tinha pela frente, sempre rezando  que o trânsito não me atrapalhasse, porque se tem coisa que me incomoda, é chegar atrasada num compromisso. Porto Alegre, minha cidade adorada - e quanto mais eu viajo, mais reforço esse sentimento - infelizmente agora tem esse problema de tranqueira no trânsito e o que é pior, sem dia e nem hora para acontecer.
A lentidão se faz a qualquer momento, por diferentes motivos, bastando um pequeno incidente, uma sinaleira estragada e por aí vai. Então, é preciso contabilizar o tempo e até as rotas de locomoção de um lugar ao outro, pois aumentou muito o número de carros circulando pelas ruas e avenidas da cidade, que são as mesmas há décadas!
Voltando ao ponto de partida, os últimos dias da minha semana foram de várias reuniões com o diretório progressista metropolitano, com vereadores da capital e na prefeitura. Passei boas horas na Câmara Municipal e no centro da cidade, inclusive almoçando pelo caminho.
Todas as agendas foram produtivas. Aqui, vale o registro da reunião no Salão Nobre da Prefeitura com o prefeito Fortunati e o vice Sebastião Melo. 
Fiquei entusiasmada com a apresentação do novo desenho da administração municipal e das mudanças no organograma para o próximo mandato. O ponto alto para mim foi a informação da separação das pastas da Justiça e da Segurança.
Com o aumento da violência, o prefeito quer priorizar a segurança urbana nessa gestão. Na apresentação, ele mencionou que falou com o governador Tarso para trabalharem juntos em prol da segurança dos porto-alegrenses. Essa é uma preocupação que tenho e não é de hoje, a de defender a união de forças das três esferas - municipal, estadual e federal - para combater a bandidagem que avança a olhos vistos.
Nas noites, eu tive eventos comemorativos. Algumas  homenagens, como a entrega da Medalha do Mérito Farroupilha, ocorrida na Assembleia Legislativa, ao vereador João Antônio Dib, que se despede da vereança. O proponente foi o deputado Frederico Antunes e o salão Júlio de Castilhos estava repleto de admiradores, eleitores e amigos do Dib.


Essa semana, também, eu já havia me programado para fazer meu check-up anual, coisa que requer uma logística incrível, porque são inúmeros exames com diferentes horários que precisam ser compatibilizados, então, foi um quebra-cabeças danado, mas eu consegui. O resultado foi que me senti como colegial quando recebe aprovação com grau máximo, pois estava tudo bem!
Com isso tudo, parei pouco em casa e quando chegava estava tão cansada que só queria um banho e dormir. Assim, sei que estou devendo respostas no Face e no blog e prometo colocar em dia nas próximas horas, afinal, comunicação é tudo!


Encontro de progressistas na Câmara Municipal
Vereadores reunidos com o presidente do PP municipal Tarso Boelter, 
reunião que contou com a presença do presidente Celso Bernardi 
e do ex-governador Jair Soares
No diretório Estadual do PP, ouvindo o Presidente Celso Bernardi
Prefeito eleito abrindo a apresentação da
nova estrutura da prefeitura de POA
Prefeito Fortunati e vice Sebastião Melo, dupla que 
conhece a cidade como a palma da mão





23 de novembro de 2012

Um juiz em busca da suprema igualdade


Crédito da foto: Arte sobre fotos (STF divulgação)


Primeiro negro a assumir a presidência do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa aproveitou o discurso de posse para lamentar o fato de os cidadãos não serem realmente iguais perante a lei no país e defender maior acesso dos menos favorecidos à Justiça. “Nem todos os brasileiros são tratados com igual consideração”, ressaltou. “O que se vê aqui e acolá — nem sempre, é claro, mas às vezes, sim — é o tratamento privilegiado.” Na mais popular e festejada cerimônia da história do STF, ele foi aplaudido de pé ao criticar a promoção de magistrados por interesses políticos. “É preciso reforçar a independência do juiz. Afastá-lo desde cedo das más influências”, disse. Sentada ao lado de Joaquim, a presidente Dilma Rousseff o cumprimentou formalmente, mas não trocou sequer uma palavra com o novo chefe do Poder Judiciário.



Fonte: Correio Braziliense

22 de novembro de 2012

22 de novembro - Dia da Música


A música faz parte da vida e o que seria da gente sem ela. Para mim é um combustível. Ouço em casa e adoro ouvir no carro. Tenho as minhas preferências e copiei uma que me é muito especial.
Parabéns a quem compõe, faz e ensina música.


Dio Come Ti Amo - Pepino di Capri

Dio come ti amo
Non é possibile
Avere fra le braccia
Tanta felicità
Baciare le tue labbra
Che odorano di vento
Noi due innamorati
Come nessuno al mondo
Me vien da piàngere
In tutta la mia vita
Non ho provato mai
Un vene cosi caro
Un bene cosi vero
Che puo fermare il fiume
Che corre verso il mare
Le róndine nel cielo
Che vano verso il sole
Che puó cambiar l'amore
L'amore mio per te


21 de novembro de 2012

Lealdade e gratidão


Novembro e dezembro são tradicionalmente meses de muitas festas e confraternizações para as famílias, nas empresas, entre amigos e colegas. São comemorações do ano de convivência e trabalho que termina e a expectativa pelo outro que está por chegar.
Eu já fui a centenas delas e sinto que todas cumprem esse papel de agregar e integrar mais as pessoas, sem exceção, pois o clima e o espírito são festivos.
Mas o que quero registrar aqui, é que ontem à noite, estive numa confraternização que mexeu com meu coração de maneira muito especial.
Tive a honra de ser convidada a participar do jantar dos funcionários do Partido Progressista da Assembleia Legislativa.
Logo na chegada ao restaurante Montana Grill, fui enlaçada pelo abraço carinhoso da querida Judit Rangel, presidente do núcleo dos funcionários da AL e também organizadora do encontro.
O Hermes Dutra, coordenador da bancada progressista na Assembleia, abriu o evento agradecendo a dedicação dos funcionários. O presidente do PP/RS, Celso Bernardi e o deputado Pedro Westphalen, futuro presidente da AL, conduziram as homenagens e falaram da importância daquela parceria.
Foram homenageados cinco funcionários que estão se aposentando: Edgar Engel Neto, Cezar Callegaro, Léa Vaccari, Jussara Osório e Jussara Casemiro. Eles receberam uma placa muito linda onde estava escrito: “Somos gratos pela tua dedicação”.
Depois, houve um espaço para as novas filiações, sempre muito bem-vindas.
Foi uma bela atitude do partido que resultou num encontro maravilhoso que adorei participar e onde reforcei minha certeza de que o importante são as pessoas, em seu conjunto e de forma individual, e mais uma vez vi que o maior presente que a campanha política me trouxe foi ganhar amigos unidos por uma mesma causa!
Voltei para casa com a alma em festa!
Demorei a dormir pensando no que tinha vivenciado e, o melhor, no que tinha tido a oportunidade de compartilhar. Repassei cada momento, cada palavra falada e as diversas manifestações, mesmo as silenciosas, espelhadas por olhares e sorrisos de satisfação.
Então, eu descobri o motivo pelo qual aquele encontro tinha me feito um bem tão grande: o sentimento de lealdade e de gratidão que unia aquelas pessoas que lá estiveram.











20 de novembro de 2012

Diário de Maceió



Cheguei de viagem e quero fazer alguns registros sobre os dias que fiquei em Maceió.
Primeiro, dizer que a viagem de volta foi perfeita. Tudo transcorreu dentro do programado, ou seja, voos sem nenhum atraso. Eu confesso a vocês que por conta do feriadão, achava isso impossível de acontecer e cheguei a apostar como  o Alexandre que tomaríamos um chá de banco nos aeroportos. Eu não me lembro de já ter ficado tão contente por perder uma aposta!
Agora peguem essa daqui: na capital alagoana existe segurança pública! Não, não é sonho não. Por onde eu andei, avistei policiais militares fazendo a guarda. Homens fortemente armados controlando tudo, com viaturas estacionados na orla e outros circulando pelas ruas, pode isso? A gente até estranha.
E tem mais, no meio da avenida à beira-mar, há um posto policial com o seguinte dizer: “Segurança Nacional”. Não me contive e fui lá falar com os agentes da segurança. Fiquei sabendo que, além do policiamento normal que consiste em policiais militares e civis, Alagoas conta também com agentes de outros estados. Fiquei completamente extasiada com aquela informação e quando me dei conta estava entrevistando o soldado. Ele contou que devido aos altos níveis de violência do estado, o governador de Alagoas havia solicitado ao Governo Federal um reforço, assim, através de um programa, que forneceu verbas e equipamentos, policiais do Brasil inteiro, inclusive gaúchos, estavam ali guardando Maceió. 
Eu, que já defendia a tese de que segurança pública se faz com policiamento ostensivo, fiquei ainda mais convicta disso. O que vemos na zona turística da orla é tranqüilidade, civilidade e redução da criminalidade.
O ponto alto do comércio de Maceió são as coisas típicas da região como as rendas e o artesanato. Na Feira de Pajuçara comprei uma bela rede para o jardim aqui de casa. A Martina e a Marcela vão adorar!
Encontrei três gaúchos em Maceió e o mais incrível é que todos de Santa Cruz do Sul. Foi a oportunidade de falar daquela terra onde tenho amigos queridos.
Maceió não tem horário de verão. 
Lá amanhece muito cedo e às 9h o calor já é fortíssimo, por isso, eu saia para caminhar às 7h. Assim, eu via toda a movimentação dos trabalhadores da praia, desde os pescadores empurrando as jangadas para o mar atrás do sustendo, os garis da prefeitura limpando a areia, retirando o lixo, outros recolhendo os cocos para evitar que caiam na cabeça das pessoas, até os autônomos que gerenciam os quiosques e os que alugam cadeiras, guarda-sóis e piscininhas infantis, todos arrumando da melhor maneira possível o seu “estabelecimento”. 
Digo a vocês que nunca vi nada tão organizado. Começando que cada um deles tem uma cor diferente de guarda-sol, o que facilita a vida do cliente e do trabalhador, além de deixar a praia com um visual lindo. A disposição dos guarda-sóis ocupa a área destinada a cada um deles na areia, que fica determinada pela cor. 
Outra coisa interessante é a criatividade dos “empresários” da orla, pois o administrador dos guarda-sóis amarelos, que era onde ficávamos, de quando em quando aprecia com um regador para molhar os pés dos clientes que estavam tomando banho de sol. Ele chamava esse mimo de “mordomia do amarelo”. Sim, a competição é acirrada entre eles, que buscam fazer o melhor para fidelizar os turistas e frequentadores.
Penso que a praia é o único lugar completamente democrático, onde todos compartilham do mesmo espaço.  
Jogos de futebol, vôlei e frescobol tomam conta das areias e a torcida aplaude animada. Crianças sob a vigilância dos pais, soltam pipas e pulam ondas, mulheres desfilam sua boa forma física e jovens fazem uma rodinha com as cadeiras e falam da balada do final de semana. Famílias fazem da praia o seu programa de lazer.
Agora um detalhe do mundo das celebridades: no nosso hotel estava hospedada uma banda de rock da Suécia, a Crucified Barbara. O  Alexandre, que teve conjunto quando estudante de Direito da UNISINOS e toca guitarra e violão, fez amizade com eles e foi convidado para assistir o show. A banda é de rock pesado e formada só por mulheres!
A gastronomia em Maceió atende todos os gostos e tudo é delicioso. Eu, que adoro comida italiana e bom vinho, mesmo aqui no Nordeste, escolhi o restaurante Maria Antonieta como o meu preferido.  
Penso que muito ainda vou voltar a Maceió, pois meu marido já elegeu esse paraíso como seu lugar no mundo!

O posto da Segurança Nacional na beira da praia

Com as irmãs Neiva e Neila Azambuja de Santa Cruz do Sul/RS
na feira de Artesanato. Elas me reconheceram da TV e da política
 e vieram falar comigo

Também de Santa Cruz, o Guilherme Vieira que trabalha
 na SNC Beach Company

Os jangadeiros saindo para o mar

A "mordomia do amarelo"
O esporte praticado nas areias

Alexandre e a vocalista da banda sueca
Crucified Barbara

O meu restaurante favorito

Lá anoitecia às 18h!

Alexandre curtindo e brindando Maceió, que ele adora!










18 de novembro de 2012

Até mais ver, Maceió!


O meu último dia na capital alagoana foi iniciado com uma longa caminhada no calçadão da avenida beira- mar, que tem um cenário espetacular. O percurso que fiz foi entre os bairros Jatiúca, Ponta Verde e Pajuçara. 
No final, uma paradinha na consagrada barraca Lopana, situada na deslumbrante enseada da Pajuçara, ponto escolhido para tomar água de coco e me despedir deste paraíso de mar transparente de temperatura ambiente e muita beleza natural. 
Logo mais, aterriso em Porto Alegre.


O calçadão da orla de Maceió é um convite a caminhada!





16 de novembro de 2012

Como no veraneio da infância



Aqui na praia de Ponta Verde em Maceió, me deparei com boias de pneus de caminhão para alugar. Confesso que imediatamente me transportei para os tempos da minha infância em Torres, quando veranear por dois meses inteiros ou mais era algo muito comum para as famílias. Meu pai nos levava, os sete filhos e a minha mãe, logo após o natal e voltávamos só em março quando as aulas começavam.
Lembro que o ponto alto das manhãs na praia - após as gurias caminharem na ponta dos pés por um longo percurso para ter pernas torneadas e os guris fazerem carrinho de mão para ficarem com ombros largos, já que o Coronel Pedro Américo sendo um militar com formação em educação física também era nosso mestre nos exercícios - era a brincadeira na água com essas boias de pneus. Coisa boa!









15 de novembro de 2012

Consciência ambiental melhorando a cidade!


Aqui em Maceió, a mola propulsora da economia é o turismo.
As belezas naturais são sua maior riqueza e a preservação é fundamental, pois, assim, a vocação da cidade se mantém. 
Até aí tudo bem, no mundo todo há lugares com esse perfil, mas nunca pensei que encontraria junto a isso um sentimento de consciência ambiental tão forte aqui em Maceió nos atendentes das barracas da orla - pessoas que ali trabalham alugando guarda-sóis, cadeiras e vendendo bebidas.
O "atendimento ecológico" das barracas fornece uma lixeirinha a cada cliente e existem placas de avisos para não sujar a praia ao longo de toda a faixa de areia. 
Vejam as fotos que tirei.


O detalhe: lixeira combinando com o banquinho

A placa é vistosa e colorida, ninguém pode 
dizer que não vê!







14 de novembro de 2012

Já volto!




Aproveitando que temos o feriado da Proclamação da República encurtando a semana útil, resolvi aproveitar uma oportunidade e viajar. 
Consegui deixar compromissos agendados para segunda e terça-feira, comunicando  as pessoas, organizando a família e tomando os cuidados necessários para sair tranquila.
Por isso, aviso aos meus queridos leitores que nos próximos dias estarei no clima manso de Maceió, sem pressa, curtindo a praia e o mar e recarregando as energias, afinal, ainda há um tempo de muita produtividade e planejamento a fazer  em 2012.
Assim que der, mando notícias.